viernes, 28 de marzo de 2008

ARQUEOSSÍTIO DA RUA D. HUGO, 5 ( PORTO )

"Até há cerca de vinte anos, a questão das origens proto-históricas do núcleo urbano do Porto era debatida com base apenas em fontes historiográficas, carecendo de qualquer confirmação arqueológica.
A escavação realizada na casa nº 5 da Rua D. Hugo, a partir de 1980, forneceu as primeiras estruturas e sequências estratigráficas que provam a ocupação do Morro da Sé ou da Penaventosa, como documentalmente era designada aquela colina sobranceira ao Douro, a partir da Idade do Ferro, com indícios eventualmente anteriores.
Com efeito, num pequeno espaço hoje musealizado, ocorreram vestígios arqueológicos correspondentes a uma longa sequência temporal, entre o séc. XX e talvez os séculos VII-VI a.C., considerando a atribuição ao Bronze Final de alguns fragmentos cerâmicos mais arcaicos e de fundos de cabana em argila definidos por buracos de poste.
Do povoado fortificado que existiu no Morro da Sé – e de que entretanto apareceram muitos outros vestígios em diversas intervenções arqueológicas urbanas – podem ver-se na Rua D. Hugo os restos de uma construção de planta circular, com vestíbulo, típica da fase final da Idade do Ferro no Noroeste e datada do século I a.C., para além de um edifício de planta ortogonal com cantos arredondados e pavimento interior lajeado, já de época romana.
O Arqueossítio da Rua D. Hugo, nº 5 situa-se na área do centro histórico do Porto classificada como Património Cultural da Humanidade, junto ao Largo de Vandôma, próximo da cabeceira da catedral portuense." ( M. Silva)
Bibliografia
Real, Manuel L. [et al.] – “Escavações arqueológicas no Morro da Sé”. Boletim
Cultural C. M. Porto. Porto. 2ª Série, 3-4 (1985-86), p. 7-60.
Nota.- Vista del muro castreño localizado en la excavación realizada en el lugar.