miércoles, 12 de marzo de 2008

CIVIDADE DE COSSOURADO ( PAREDES DE COURA)

"O povoado fortificado, que se conhece também por Cividade de Cossourado, está implantado numa elevação bem destacada na paisagem, estendendo-se a área construída por cerca de dez hectares. A escolha do local para a fixação de uma comunidade parece remontar aos meados do primeiro milénio antes de Cristo, tendo o sítio sido abandonado em momento anterior à dominação romana da região, por alturas do séc. II a.C.
Circundado por três linhas de muralhas, das quais a mais notória e onde se rasga uma porta de acesso original é a primeira, o povoado é centralizado por um imponente torreão de pedra e terra, em torno do qual se dispõem as habitações e outras construções.
As plantas, de tipo circular, oval ou rectangulares de cantos arredondados, evidenciam construções de dimensões relativamente grandes para o que é comum em povoados congéneres, tendo sido mesmo sugerido que as redondas se destinariam preferencialmente a habitação, reservando-se as restantes para actividades oficinais. Não se observa qualquer organização do povoado em núcleos ou áreas estruturadas, parecendo pelo contrário que as
habitações se adaptaram à topografia e ao espaço disponível. Algumas construções parecem ter tido funções particulares, como a que apresenta um banco corrido, de pedra, junto às paredes, interpretada como lugar de reunião.
O castro encontra-se musealizado, tendo sido reconstruídas integralmente, com intenção pedagógica, duas das construções. O acesso à estação arqueológica faz-se facilmente a partir da auto-estrada A3, com saída no nó de V. N. Cerveira/Paredes de Coura, devendo depois seguir-se pela estrada nacional 303. Ao km 6, deve voltar-se para a igreja paroquial de Cossourado, subindo-se ao castro por um estradão que arranca por detrás do cemitério. O automóvel pode ser deixado 300 metros adiante, fazendo-se a pé os 200 metros restantes." (Antonio M. Silva)

Bibliografia
Silva, Maria de Fátima; Silva; Carlos A. G. – O Povoado Fortificado de Cossourado.
Retratos de um habitat da Idade do Ferro. Paredes de Coura: Câmara
Municipal, 1998

Nota.- En las imágenes, arriba, vivienda con banco corrido, adosado al muro interno de la casa y vista general, de dos construcciones castreñas reconstruídas.

2 comentarios: