viernes, 28 de marzo de 2008

CRASTO DE PALHEIROS ( MURÇA )

"Instalado num cabeço rochoso de impressionante implantação na paisagem, o Crasto é um sítio arqueológico cuja ocupação inicial remonta ao Calcolítico, entre 2.800 e 2.600 anos antes de Cristo.
O local foi depois abandonado durante cerca de dois milénios, voltando a ser escolhido para a fixação de uma comunidade por alturas do séc. IV a.C., durante a Idade do Ferro. O povoado dessa época, assente sobre as ruínas das construções calcolíticas e que aparentemente não possuía qualquer muralha, delimitação ou sistema defensivo, era composto por cabanas feitas com materiais perecíveis, se bem que algumas, de planta circular, apresentassem pavimentos empedrados, como ainda se pode ver. Já provavelmente no século I da nossa era o local foi rodeado de duas linhas de muralhas pétreas, concêntricas, reutilizando-se também os taludes de pedra calcolíticos.
O abandono definitivo do povoado dar-se-ia provavelmente pouco depois da construção das muralhas, sendo praticamente inexistentes os vestígios de época romana. A singularidade deste castro transmontano, bem diferente dos povoados contemporâneos do Entre Douro e Minho, assenta assim, entre outros aspectos, na inexistência de habitações em pedra e na cronologia tardia das muralhas, exemplificando a variabilidade de contextos e soluções que se verifica do povoamento da Idade do Ferro do Norte de Portugal. Para o visitante tem ainda o aliciante suplementar – e o desafio interpretativo – de proporcionar a observação de restos arqueológicos préhistóricos e proto-históricos em sobreposição directa.
O acesso à estação arqueológica faz-se facilmente a partir do Itinerário Principal nº 4, devendo sair-se no nó de Palheiros e tomar-se depois a Estrada Nacional 15, em direcção a Franco. Após a aldeia de Palheiros o povoado encontra-se sinalizado." ( M. Silva)

Bibliografia
Sanches, Maria de Jesus – “Crasto de Palheiros”, in Almeida, C. A. B. (dir.) História da
Vinha e do Vinho no Vale do Douro. Vol. 1. Porto: Afrontamento, no prelo.
Nota.- Vista del yacimiento castreño desde el noroeste y detalle gegeral de la muralla restaurada y en primer término, piedras hincadas que completarían el sistema defensivo.